Tags

,

Image

Cada cidade pode ser outra
quando o amor a transfigura
cada cidade pode ser tantas
quantos amorosos a recorram

o amor passa pelos parques
quase sem vê-los mas amando-os
entre a festa dos pássaros
e a homilia dos pinheiros

cada cidade pode ser outra
quando o amor pinta os muros
e dos rostos que entardecem
a gente é o rosto do amor

o amor vem e vai e regressa
e a cidade é a testemunha
de seus abraços e crepúsculos
de suas bonanças e aguaceiros

e se o amor vai e não volta
a cidade cuida do seu outro
já que lhe sobram só o luto
e as estátuas do amor.

Mário Benedetti, poeta e escritor uruguaio (1920-2009).

Imagem: Cairo – Egito (2013).

Anúncios